quinta-feira, 7 de outubro de 2021

Era uma vez um ritmo. A história da música - James Carter / Valerio Vidali

Dia 1 de outubro comemora-se o "Dia Mundial da Música". A música é uma forma de arte adorada por milhões de pessoas espalhadas pelo mundo. A música é uma forma de unir as pessoas e é considerada como um alimento para a alma, por isso a nossa colega Helena teve uma ideia genial! Levou os alunos do 1º ciclo a fazerem uma viagem pelo mundo da música.
A BE/CRE deseja a todos um bom ano letivo e boas leituras. dese

terça-feira, 1 de junho de 2021

OFICINA COMO NASCE UM LIVRO?

Os alunos dos 3º anos fizeram a Oficina Como nasce um livro? com a ilustradora Marina Palácio. Exploraram o livro "A estrada antiga e a estrada nova.Viram que havia dois caminhos possíveis para chegar ao mesmo destino. Duas viagens quase paralelas, cada uma com as suas peripécias. Quem andou mais quilómetros? Quem chegou mais depressa? Quem encontrou mais surpresas? Quem ficou mais cansado? As respostas encontram-se estrada fora. Apertem os cintos, vamos lá arrancar...
Os alunos perceberam que todos os livros têm um percurso próprio. Que há livros que são mais rápidos, outros que são mais lentos porque necessitam de mais investigação, mais rigor. Que o trabalho de equipa é muito importante. O resultado foi interessante.

terça-feira, 25 de maio de 2021

OFICINA DAS HISTÓRIAS ESCONDIDAS

Com o livro "O Tigre na Rua e outros poemas" de Serge Bloch, os alunos dos 4º anos receberam a Marina Palácio. Este livro contém poesias que convoca o lúdico numa linguagem de perguntas e não de respostas. O poema estava lá, mas para o ver era preciso um "microscópio”. Poema micróbio, poema absurdo, poema para um sorriso, riso e gargalhada. Estes poemas pedem uma leitura em voz alta, onde a voz e o corpo se fundem para jogar com as palavras. É um livro repleto de animais de traços finos, penas, chapéus, guarda chuvas e banheiras de um grafismo algo retro, onde se podem percorrer as carteiras de uma “Aula de gramática” ou perguntar “Porque é que os arco-íris não entram em casa?”… Depois de escolherem uma das perguntas do poema, cada aluno teve que dar uma resposta. Para isso utilizaram letras e desenhos, tendo os colegas que adivinhar qual seria a pergunta. Imaginaram uma história com o livro " Jogos dos olhos fechados" de Herve Tullet. Esta oficina foi muito engraçada e divertida.

segunda-feira, 24 de maio de 2021

OFICINA DO MISTÉRIO DO AMOR E DAS BORBOLETAS

A oficina do mistério do amor e das borboletas foi direcionada para os alunos do 2º ano. Houve uma pequena apresentação e a Marina Palácio falou sobre o amor com a história "O mistério do urso". Foi abordado o papel do pai com a história " pê de pai". Os alunos fizeram o desenho em que mais se identificavam com o pai. Foi divertido! Houviram a história " Urso caça-borboletas", viram algumas borboletas e numa cartolina preta picotaram uma borboleta e por trás colaram umas folhas coloridas. Ficou lindo!

Oficinas de Leitura e Criatividade - "Oficina Alfabetos Sensoriais"

A partir do livro ABC de Marion Bataille, iniciamos a Oficina Alfabetos Sensoriais, realizada pela ilustradora Marina Palácio, com os alunos do 1º anos. Nesta viagem descobrimos que todos nós temos um pássaro especial e amigo. Os pássaros de Portugal ensinaram-nos a experimentar um alfabeto sensorial, precioso, único. Também com o nosso corpo e numa folha de papel as letras foram “sentidas” de forma tão diferente.

terça-feira, 11 de maio de 2021

Estivemos a recordar algumas normas de convivência na escola e na sociedade. Depois de uma conversa e a visualização de algumas regras, cada turma pintou um cartaz.

Concurso Nacional de Leitura (CNL)

Concurso Nacional de Leitura (CNL) Fase Intermunicipal do Concurso Nacional de Leitura (CNL) da Área Metropolitana de Lisboa, organizada pelas Bibliotecas Municipais de Loures, a qual decorreu nos dias 13 de abril, entre as 10h30 e as 11h15 ( provas escritas em formato online) e no dia 20 de abril de 2021, entre as 14h00 e as 18h30 (provas orais em formato presencial para todos os ciclos de ensino). A 1º Fase Intermunicipal do CNL destinou-se a apurar 2 alunos de cada nível de ensino para participarem na Fase Final do mesmo. As obras selecionadas para as provas escritas para o 1º ciclo foi “ A Tartaruga Celeste e o Menino que Chorava Música” de Sofia Fraga .A nossa menina Daniela Pinto conseguiu ir até a final. Não ganhou mas está de parabéns pelo esforço e participação. PARABÉNS DANIELA!

O dia da terra

O Dia da Terra ou Dia Mundial do Planeta Terra é comemorado 22 de abril em todo o mundo. A data representa a luta em defesa do meio ambiente, promovendo a reflexão sobre a importância do planeta e o desenvolvimento de uma consciência ambiental. O planeta Terra é nossa casa. Por esse motivo, devemos cuidar e preservar os seus recursos naturais. Hoje, sabemos que os recursos naturais oferecidos pelo planeta Terra são finitos. Por isso, eles devem ser explorados de forma sustentável e o Dia da Terra é uma oportunidade de discutir temas ambientais e sensibilizar a população sobre a importância de conservação do planeta. Depois de falarmos sobre a importância de cuidar da terra com uma história e viram o vídeo do Michael Jackson. Por fim fizeram um painel com o mundo feliz e o mundo triste. Aqui estão alguns trabalhos. Estão lindos! Meio Ambiente- O livro do Planeta Terra https://www.youtube.com/watch?v=9eAwOVWLCtI Michael Jackson - Earth Song (Official Video) https://www.youtube.com/watch?v=XAi3VTSdTxU

quarta-feira, 13 de janeiro de 2021

Histórias de Pontuar

Histórias de Pontuar Era uma vez uma história com sinais de pontuação sobre uma outra história que nem sequer um sinal de pontuação tinha. Por causa disso mesmo, mas também por outras razões que agora não vêm ao caso, a vírgula Virgulina, que anda sempre assombrada pela inquietação, três reticências apaixonadas por um ponto de exclamação com uma grande crise de identidade, um ponto de interrogação com uma veia filosófica que faz de narrador perguntador, entre outros sinais de pontuação, decidem mostrar a sua perplexidade e indignação. Por isso, numa certa noite, todos se reuniram clandestina e pontualmente na Biblioteca Nacional, para porem um ponto final nos atropelos de que se sentem vítimas e também nos pontapés que enchem de nódoas negras a Dona Gramática. Depois das queixas e das acusações, vieram as deliberações, mas não as podemos divulgar aqui por manifesta falta de aspas. Em Histórias de Pontuar, o texto de Suzana Ramos e as ilustrações de Marta Neto complementam-se num livro onde o sentido de humor convive com muitos jogos de linguagem bem como com a necessidade de colocar rigorosamente personagens improváveis no seu devido lugar.